Por que 13 de julho é Dia Mundial do Rock?

A explicação é que foi neste dia, em 1985,  que ocorreu o festival Live Aid, em Londres e na Filadélfia. Na ocasião, Phill Collins, da banda Genesis, que participou dos dois shows, declarou aquele como o “Dia do Rock”.

Mas a data não é tão mundial assim. “Nem os americanos nem os ingleses levaram a sério. Só brasileiros e as rádios rock do Brasil, desde aquela época, passaram a considerar esse o Dia do Rock”, explica o cantor, radialista, compositor ícone oitentista e jornalista Kid Vinil,  autor do livro Almanaque do Rock.

O festival foi organizado pelo escocês Midge Ure e pelo vocalista da banca Boomtown Rats, Bob Geldof, que se comoveu com a crise humanitária na Etiópia e resolveu fazer um megaevento com o objetivo de arrecadar fundos para a causa. O show na Filadélfia ocorreu no estádio JFK e reuniu nomes como The Cars, Tom Petty, Madonna, Duran Duran, Led Zeppelin e Bob Dylan. Na Inglaterra, o concerto ocorreu no estádio Wembley e contou com U2, Paul McCartney, The Who e Queen. Tipo só pouca coisa.

No mesmo dia, shows em outros países, como Austrália e Alemanha, foram feitos para apoiar a causa. As apresentações foram transmitidas para cerca de 150 países e alcançaram aproximadamente 2 bilhões de espectadores. Segundo Kid Vinil, as rádios rock brasileiras passaram a celebrar a data em meados de 1987, ano também conhecido como o do nascimento da SUPER. A partir daí, mais eventos acabaram acontecendo para comemorar, e a coisa foi se espalhando. “Para os gringos, o Dia do Rock é todo o dia. Aqui tinha que ter um dia, pois infelizmente não somos o país do rock”, comenta Kid Vinil.

Veja também  Segurança de candidatos será ampliada em 60%, diz Jungmann

Fonte: Superinteressante

Compartilhe: