Grupo chinês vai gerar 400 postos de trabalho em Alagoas

Com fábricas sendo implantadas no Leste Europeu e na Ásia – Polônia e Índia, respectivamente – a indústria GsPak vai se instalar em Alagoas. Isso foi o que anunciou o presidente do Conselho da Indústria, Shandong Li, nessa segunda-feira (2), em reunião com o governador Renan Filho e o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito.

 Especializada na fabricação de embalagens acartonadas para alimentos, e concorrente direta da Tetra Pak, a indústria chegará a Alagoas focada em exportar para a América do Sul. Com geração de 400 empregos e investimento de cerca de R$ 100 milhões, a GsPak solicitou ao Governo do Estado o incentivo locacional, aquele em que um terreno é cedido a preço simbólico para instalação da fábrica, como explicou o governador Renan Filho, ao final da reunião.

 “Tivemos aqui a grande notícia de que há solicitação por parte de uma grande companhia chinesa de um terreno em Alagoas para construir uma indústria. Os chineses têm hoje, no mundo inteiro, a maior capacidade de investimento. Eles, inclusive, já têm uma fábrica no Estado que é a ZTT, no polo industrial de Marechal Deodoro, e que produz fibra ótica. A ideia é criar uma grande comunidade chinesa em Alagoas”, disse Renan Filho.

Ele revelou, ainda, que após outubro deste ano fará uma visita técnica à China para conhecer outras corporações e discutir novas possibilidades de investimentos para Alagoas. “Um dos anseios dos alagoanos é que possamos atrair indústrias pra cá para gerar emprego”, acrescentou, salientando que a solidez fiscal e os investimentos feitos pelo Governo do Estado em infraestrutura favorecem, cada vez mais, a atrações de novas empresas para o Estado.

Veja também  Sine suspende atendimento de seguro desemprego até quarta (06)

 Além das questões estruturantes, os incentivos fiscais têm colocado Alagoas na vanguarda das atrações de investimentos, mesmo diante do cenário econômico desfavorável. O Programa do Desenvolvimento Integrado do Estado de Alagoas (Prodesin) reduz em 92% o pagamento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na saída dos produtos industrializados em todo território alagoano, além do diferimento do ICMS sobre os bens destinados ao ativo fixo, sobre a matéria-prima utilizada na fabricação de produtos e na aquisição interna de energia elétrica e gás natural.

Para se ter uma ideia, o benefício fiscal na região metropolitana de Pernambuco é de 75%, oferecendo um desconto maior do que Alagoas (95%) apenas na região do Sertão, um território ainda sem infraestrutura adequada para a instalação de indústrias.

“Todo esse esforço de atração de investimentos para Alagoas é sempre com o objetivo de gerar mais empregos e mais oportunidades para o povo alagoano. Toda vez que se tem um anúncio como esse de hoje – um investimento de quase R$ 100 milhões numa planta recheada com grande tecnologia e que vai gerar uma massa salarial para aquecer nossa economia – é motivo de muita satisfação”, disse o secretário Rafael Brito.

Texto: Agência Alagoas

Foto: Marcio Ferreira / Agência Alagoas

Compartilhe: