Improbidade: Justiça mantém bloqueio de bens de esposa de prefeito afastado de União dos Palmares

A Justiça alagoana negou o pedido de desbloqueio de bens feito por Maria da Conceição de Albuquerque Baía, esposa do prefeito afastado de União dos Palmares, Carlos Alberto Borba de Barros Baía. A empresária responde a processo por improbidade administrativa. A decisão, proferida no último dia 2, teve como relator o desembargador Pedro Augusto Mendonça de Araújo.

Segundo o Ministério Público de Alagoas (MP/AL), Maria da Conceição Baía é a dona de um laboratório de análises clínicas que teria sido contratado pela Prefeitura sem licitação. A empresária teve os bens bloqueados, até o montante de R$ 500.000,00, por decisão da 2ª Vara Cível de União dos Palmares, proferida em fevereiro de 2016.

Objetivando reverter a medida, ela interpôs agravo de instrumento na Justiça. Afirmou que a contratação de sua empresa se deu na administração anterior à do marido. Disse ainda que a ausência do procedimento licitatório para a contratação do laboratório não pode recair sobre ela, uma vez que tal procedimento seria de iniciativa da administração pública.

Sustentou não ter ficado comprovada a lesão ao patrimônio público ou enriquecimento ilícito. Disse também que todos os serviços contratados pela Prefeitura foram devidamente prestados.

Veja também  Após ação do MPE, Judiciário vai investigar tributos do Grupo Nivaldo Jatobá

Ao analisar o caso, a 2ª Câmara Cível decidiu manter o bloqueio dos bens da acusada. Segundo o relator do processo, a decisão que determinou o bloqueio dos bens da acusada foi bem fundamentada e demonstrou ser imprescindível para a efetividade da ação.

O desembargador Pedro Augusto citou ainda a Lei de Improbidade Administrativa (nº 8.429/92), segundo a qual não se faz necessária a comprovação de que os réus estejam dilapidando o patrimônio, bastando apenas fortes indícios da prática de improbidade.

Fonte: Redação com Ascom TJ/AL

Compartilhe: