Plano integrado definirá ações para áreas afetadas no Pinheiro, Mutange e Bebedouro

O Plano de Ações Integradas para Maceió já está sendo construído por representantes dos governos Municipal, Estadual e Federal. Os trabalhos, divididos por eixos temáticos, buscam linhas de ações para as áreas dos bairros do Pinheiro, Bebedouro e Mutange, afetados pela instabilidade de solo e destacado no Mapa de Setorização de Danos e de Linhas de Ações Prioritárias.

A Defesa Civil Nacional, que conduz os trabalhos com a Defesa Civil de Maceió, dividiu as discussões em nove eixos: monitoramento da região, obras de mitigação, habitação, segurança pública, comunicação, serviços essenciais, educação, recuperação dos negócios locais e saúde.

Cada eixo traça linhas estratégicas de ação, apontando as responsabilidades de cada órgão envolvido com os trabalhos e prazo para concretização das medidas a serem adotadas. “Estão sendo discutidas ações de curto, médio e longo prazo para atender a população dos três bairros afetados. Esse trabalho tem início com a finalização do Mapa de Setorização de Danos e é pensado dentro da realidade da população atingida”, destacou o coordenador municipal de Proteção e Defesa Civil, Dinário Lemos.

Dinário Lemos destaca ainda a importância da integração entre todos os órgãos envolvidos. “O trabalho é grandioso e vem sendo construído com a contribuição dos governos Municipal, Estadual e Federal, além representantes dos Ministérios Públicos Federal, Estadual e do Trabalho, Defensoria Pública Estadual e da Braskem. São vários pontos sendo discutidos buscando a solução para os problemas desta população afetada”, complementou o coordenador.

Veja também  Ajuda Humanitária: cadastro atende quarta a rua Santo Amaro

O Plano de Ações Integradas para Maceió está sendo construído nas esferas Municipal e Estadual e, quando concluído, será levado para o Governo Federal, onde as ações serão discutidas por 11 Ministérios. Paralelo ao Plano de Ações Integradas para Maceió, a Prefeitura de Maceió trabalha na atualização do Plano de Contingência, ampliação da área de monitoramento e já solicitou ao Governo Federal a inclusão das famílias das áreas com maiores danos do Mutange e Bebedouro na Ajuda Humanitária.

 

Texto: Ascom Defesa Civil

Foto: Pei Fon/ Secom Maceió

Fonte: DEFESACIVIL

Compartilhe: