Arte Pajuçara recebe espetáculo de Flamenco

A trajetória do Flamenco, considerado um dos patrimônios imateriais da humanidade, será o tema do espetáculo musical Flamenco: Gitanos por El Mundo, produzido pelo Studio Bella Danza, que será apresentado nesta sexta-feira (09), a partir das 19h30, no Teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara.

O espetáculo traz um repertório de “palo seco”, uma modalidade do Flamenco composta por palma e voz, como era feito originalmente e obras de grandes nomes da música Flamenca, como os cantores espanhóis Estrella Morentte e Paco de Lucía, e a banda francesa Gipsy Kings.

O show é um dos contemplados pelo edital Pauta Aberta, iniciativa da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), que tem o objetivo de ocupar a sala do Teatro do Centro Cultural Arte Pajuçara. “O projeto é de suma importância para os artistas que compõem o palco local, que contempla de forma democrática o espaço onde a gente pode mostrar a nossa arte”, ressaltou Cybelle de Lima.

Os ingressos custam R$40 (inteira) e R$20 (meia).

Apresentação acontece na sexta-feira. Foto: Paulo Bulhões/ Cortesia

O Flamenco tem origem datada entre os séculos XV e XVI, no sul da Espanha, nas regiões de Andaluzia e Múrcia, e é uma das principais referências da cultura cigana. A princípio, a musicalidade era constituída apenas pelo canto, que entoava, com grande emoção, a dura trajetória do povo cigano, constituída de constantes perseguições.

Veja também  Prefeitura lança São João 2019 nesta terça-feira

Começou a alcançar a sociedade espanhola, no geral, nos Cafés Cantantes, entre os anos 1869 e 1910, considerada a época de outo do Flamenco. Também foram acrescidas outras características, como o baile (dança), o sapateado, as batidas do “cajón” e a sonoridade ímpar das castanholas, além da guitarra, que, diferente da clássica, é feita de madeira, é leve e produz um som mais agudo.

“É importante mostrar e apresentar a arte do Flamenco para que a sociedade conheça essa cultura que conseguiu se transformar em um patrimônio imaterial da humanidade, e além disso, que se conheça o povo cigano, a cultura dos “gitanos” como um todo, porque eles são integrantes da formação dos povos de várias partes do mundo”, disse a integrante do Studio Bella Danza, Cybelle de Lima.

 

Texto: Paula Araújo (estagiária)/ Ascom Fmac

Foto: Paulo Bulhões

Fonte: FMAC

Compartilhe: